Talita Barreto: a expressão da musicalidade

Autor: Redação HolyNews

Ela é talentosa, jovem, plural, bonita. Talita Barreto é uma das grandes promessas da música gospel no Brasil. Contratada pela Sony Music, a cantora define o seu estilo musical como uma mistura de vários gêneros da música negra e brasileira. “A música é uma parte importante na descoberta da minha identidade e ancestralidade”, revela e continua: “A história dos negros, no país, é sempre permeada de uma visão eurocêntrica. Entendê-la fez com que eu compreendesse quem sou e refletisse no tipo de música que faço hoje”.

Na opinião de Talita, de uma forma geral, as pessoas não refletem sobre as influências da música cristã cantada nos cultos ou fora dele, o que faz parecer que toda sonoridade que fuja do padrão soe menos “santa”. “Acredito que o poder de exaltar o nome de Jesus nas mais diversas linguagens e culturas é uma coisa linda”. A artista, que também é compositora, conta que busca muitas referências para o seu trabalho, seja conhecidas ou desconhecidas, mas a maior “fonte” é a vida a partir de suas vivências dom Jesus. “Para cada detalhe, tenho alguém que me inspira. São muitas pessoas, que fica difícil de nomeá-las”.

Dentro do cenário musical gospel, Talita enxerga um mercado em expansão, tendo em vista que os artistas cristãos têm ganhado cada vez mais expressão e relevância na música nacional. No entanto, ela acredita que é preciso profissionalizar mais o setor. “Ser artista e cristão parece muito difícil, porque muitos ainda não enxergam dignidade na profissão. É necessário explicar por que precisa receber para exercer seu trabalho, por exemplo”. Talita diz ainda ser um privilégio trabalhar com o que ama. “Sou muito feliz, porque meu trabalho e também o meu chamado”.

Importantes projetos

Em 2021, a artista lançou o projeto “Acústico Talita Barreto” com as músicas “Tempo Novo”, “Pra Sempre”, ”Abençoada” e “Vida Leve”. O álbum, de acordo com ela, surgiu da vontade de mostrar algumas canções exatamente como “nascem”, apenas voz e violão. “Nas minhas canções tenho uma preocupação muito grande com a letra, porque ela norteia todas as coisas que fazem parte da música”, frisa, acrescentando que todo o processo de gravar e lançar foi muito especial. “Aprendi muitas coisas no caminho e pude me aproximar do público de uma forma diferente”. Talita diz ainda que cantar sobre fé e esperança é uma forma de amar as pessoas. “Fiquei feliz de compartilhar tudo isso de uma forma tão íntima e sincera”.

Já em 2020, a cantora gravou o single “Força Pra Encarar” ao lado de Asaph Borba e Leidy Murilho. O lançamento aconteceu no Dia da Consciência Negra. “Foi incrível! A maioria das canções que lancei fala sobre experiências individuais. Essa foi a oportunidade de abrir diálogos sobre um tema amplo, que faz parte da minha vivência e também da dos meus irmãos negros”. Engajada em causas sociais, Talita ressalta que Jesus é o motivo principal pelo qual começou a ter interesse por alguns movimentos. “A partir de Cristo passei a olhar para o outro. A religião que agrada a Deus é aquela que cuida dos órfãos e das viúvas. E sempre me perguntei: ‘Quem são os órfãos e as viúvas do meu tempo?’”.

Para este ano, Talita Barreto enfatiza que está centrada em produzir as músicas do novo projeto, com calma e com o tempo necessário para desenvolver o seu tipo de arte. “Quero entregar um projeto amadurecido. Isso demanda muita pesquisa e tempo de produção”, analisa. A cantora explica que todo projeto realizado até agora foi meio experimental, testando sonoridades e formas de expressar o que pensa. “Quero entregar um trabalho mais maduro e consistente. Estou totalmente focada em criar e produzir”.

Trajetória musical

Talita iniciou a jornada musical de maneira independente até chegar a uma grande gravadora como a Sony Music. “É surreal! Não era algo que passava pela minha cabeça quando comecei. Tudo aconteceu muito rápido. Sou muito feliz por essa parceria e trabalhar com uma equipe maravilhosa, que acredita tanto na arte que eu faço”.

No Spotify, em sua apresentação, Talita escreveu que poderia começar a postagem dizendo que é cantora, produtora, instrumentista, compositora, mas como ainda não é excelente em nenhumas dessas coisas não se sente confortável com esses títulos. “A verdade é que eu gosto mesmo é de criar”. Ela cita que foi no final do Ensino Médio que decidiu definitivamente pela arte. “Meus dias não faria muito sentido fazendo outra coisa. Ai, no meio do caminho, Deus me falou que Ele também queria que eu fizesse arte”.

Por influência do pai e do irmão mais velho, Talita começou a tocar violão na infância. Logo depois, estava integrada ao meio musical da igreja até ser chamada para integrar o ministério de louvor. “Cresci em uma igreja que tem por tradição cantar o próprio hinário. Então, até a minha adolescência existia a música da minha igreja e a do mundo”. Com o passar dos anos, a cantora teve a oportunidade de estudar outras musicalidades e enxergar a música, além do rótulo de gospel ou secular. “Passei a analisar a poética, independente do gênero musical, e discernir o que está mais alinhado com aquilo que acredito”.

Talita Barreto compartilha ainda que o seu maior sonho é realizar um trabalho que daqui a muitos anos ainda faça sentido. “Quero muito construir uma carreira que seja capaz de conversar com diversas gerações. Que não seja apenas música descartável, com data de validade”.

Para finalizar, a cantora deixa um recado pata aqueles que desejam ingressar no mercado fonográfico gospel. “Tenha certeza que Deus deseja isso para sua vida, já que não é um caminho fácil. Mantenha-se fiel a sua essência. Seja você mesmo na sua arte, utilize sua história e criatividade para louvar o Senhor. E busque ser o mais correto e profissional”.

COLUNISTAS

Últimos Conteúdos