Pastores de Aracajú se reúnem para orar após acusações de homofobia

Autor: Redação HolyNews

Pastores, líderes e juristas cristãos se reuniram nessa quarta-feira (18) para prestar apoio a Igreja Presbiteriana Renovada de Aracaju (SE). A igreja foi acusada de homofobia ao se recusar batizar um homossexual no último domingo (15). 

Estiveram presentes, pastores de diversas denominações de Aracaju, representantes da Frente Parlamentar Evangélica, da União dos Ministros Evangélicos do Estado de Sergipe (Umese) e da Associação Nacional de Juristas Evangélicos (Anajure). 

“Dezenas de pastores de denominações de toda grande Aracaju, reunidos como uma só igreja e um só povo, se encontraram nesta manhã e experimentaram uma presença poderosa da parte de Deus. Nada e ninguém pode parar a igreja que se une em prol da cultura do Reino dos Céus, em nome de Jesus”, disse o pastor responsável pela igreja, Jeter Andrade, no Instagram. 

Os líderes presentes terminaram a reunião juntos no altar. Do mesmo modo, em vídeo no Instagram, o pastor e deputado federal Marco Feliciano prestou apoio à igreja. “Espero que esse caso seja devidamente esclarecido e tornado sem efeito”, disse ele nessa quarta.

Sobre o caso 

O fotógrafo João Pedro Poderoso, alega ter sido vítima de discriminação, após ser impedido de participar do batismo que ocorria durante celebração de culto na igreja. O caso ocorreu no último domingo (15). 

De acordo com João, o pastor não o impediu de fazer um curso de seis semanas antes do batismo, entretanto, o fato ocorreu poucos minutos antes de descer ao batistério. 

“Eu fui chamado por um líder e levado a uma sala, e chegando lá o pastor me informou que eu não poderia ser batizado porque eu era casado com outro homem. Sendo que toda a igreja sabia do meu relacionamento com o meu esposo, eu já frequentava a igreja há um ano”, disse o fotógrafo, ao g1, em entrevista. 

João Pedro e Jadson registraram um Boletim de Ocorrência no Departamento de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV), da Polícia Civil de Sergipe, que passou a investigar o caso.

Defesa 

A Igreja Presbiteriana Renovada de Aracaju (IPRA), em nota, na última segunda-feira (16), esclareceu o ocorrido e afirmou que a instituição atua há mais de 40 anos na sociedade sergipana, servindo a Deus e ao próximo. 

“É de se ressaltar que a comunicação feita ao mesmo a respeito da impossibilidade de seu batismo se deu de modo reservado, em espaço privativo, na secretaria da igreja, sem publicização do mesmo, ou mesmo das razões do impedimento, com vistas a evitar qualquer tipo de constrangimento”, relata a nota. 

Segundo o pastor da igreja, Jeter Andrade, a Constituição Federal garante liberdade de crença religiosa. “Em um dos cursos da nossa igreja chamado ´Primeiros Passos´, onde nós começamos a ensinar verdades básicas sobre a palavra de Deus. Na terceira lição, nós falamos sobre família e sexualidade, o que nós acreditamos de acordo com a palavra de Deus. Todos são muito bem vindos à Família Renovada, mas nós não abrimos mãos dos princípios e valores da palavra de Deus”, afirma. 

COLUNISTAS

Últimos Conteúdos