Encontrada em lixo arqueológico primeira menção de ‘Yahweh’

Foto: Reprodução

Perto da cidade palestina de Nablus foi descoberta uma antiga tabuleta. Ela pode conter a mais antiga menção conhecida do nome de Deus em hebraico proto-alfabético. A descoberta da tábua de chumbo foi anunciada, em março, por Scott Stripling, diretor do Instituto de Estudos Arqueológicos do Seminário Bíblico em Katy, no Texas. O especialista salientou que o achado poderia atrasar o registro escrito do nome “Yahweh” alguns séculos antes, para pelo menos 1200 a.C. e talvez tão cedo quanto 1400 a.C..

Um debate renovado sobre a datação de eventos bíblicos, especialmente aqueles contados no Livro do Êxodo, pode ser estimulado pela descoberta. Um artigo revisado por pares está em andamento. O artefato, com menos de 2,5 cm de comprimento e largura, é conhecido como tábua de maldição. Ele também lembra o relato de Josué construindo um altar nas proximidades, que o arqueólogo israelense Adam Zertal escavou na década de 1980.

A tábua da maldição foi descoberta perto do Monte Ebal, também chamado de Monte da Maldição nos livros de Deuteronômio e Josué. Stripling o encontrou em um depósito de lixo, parte da estrutura que Zertal identificou como o altar de Joshua. Stripling afirmou que a descoberta é uma confirmação do relato bíblico.

Nos últimos anos, Stripling também anunciou a descoberta de uma plataforma do Tabernáculo durante suas escavações em andamento na bíblica Shiloh.

A tábua da maldição foi descoberta perto do Monte Ebal, também chamado de Monte da Maldição nos livros de Deuteronômio e Josué. Stripling o encontrou em um depósito de lixo, parte da estrutura que Zertal identificou como o altar de Joshua. Scott Stripling ressaltou que a descoberta era uma confirmação do relato bíblico.

Nos últimos anos, Stripling também anunciou a descoberta de uma plataforma do Tabernáculo durante suas escavações em andamento na bíblica Shiloh. O texto da tabuinha do Monte Ebal fornece contexto fora do cânon bíblico, mas lança luz sobre o contexto histórico seis séculos antes. “Nossa descoberta de uma inscrição do final da Idade do Bronze me surpreendeu”, revelou.

A sujeira ao redor da área da descoberta foi descartada há mais de 30 anos. Ele havia sido peneirado a seco antes da decisão de Stripling de passá-lo novamente usando a técnica de peneiramento úmido.

Com informações Christian Today

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

AllEscortAllEscort