Aumenta o número de cristãos sequestrados no mundo

Autor: Redação HolyNews

Os números impressionam. Dados da Lista Mundial da Perseguição (LMP) 2022, elaborada por Portas Abertas, apontam que aumentaram os casos de sequestro de cristãos ao redor do mundo: 124%. Isto significa que subiu de 1.710 para 3.828. A Nigéria é o país onde aconteceu o maior número, com 2.510, ou seja, 66%. A seguir está o Paquistão, com 1.000 casos, o equivalente a 26%. Vale frisar que esse tipo de situação violenta acontece nos países em que o islamismo é a religião predominante.

O pastor nigeriano Dauda Bature, em novembro de 2021, foi sequestrado no estado de Kaduna, na Nigéria. O ato violento aconteceu enquanto ele trabalhava em sua fazenda. Dez dias depois, a esposa do pastor também foi capturada. Ela foi libertada, em dezembro, para levantar recursos para o resgate do líder religioso. No entanto, mesmo após o pagamento, o secretário da igreja, que estava à frente das negociações com os sequestradores, teve a informação de que o pastor havia morrido.

O sequestro das 270 meninas do Chibok é um dos casos mais conhecidos no mundo. Elas foram levadas pelo grupo terrorista Boko Haram, na Nigéria. As garotas cristãs são três vezes mais vulneráveis em países onde a Igreja é perseguida. Elas são obrigadas à conversão ao islamismo, abusadas sexualmente e submetidas ao casamento forçado com os militantes. Em sequestros de cristãos, muitos são torturados, obrigados a entregar nomes de pastores e até mortos pelos sequestradores.

O líder cristão Léon Dougnon, no ano passado, foi sequestrado no Mali. Ele foi levado com outros quatro membros da igreja. A ação ocorreu quando os homens viajavam da cidade de Ségué até a região de San. A localidade onde os cinco cristãos foram capturados é sujeito a ataques frequentes de jihadistas ligados ao grupo terrorista Al-Qaeda.

Já em 2017, uma enfermeira cristã, natural da Colômbia, foi sequestrada por jihadistas na região sul do território. Gloria Cecilia Narváez Argoti evangelizava, quando foi sequestrada por extremistas no carro da igreja. Durante quatro anos, ela passou sob o poder de um grupo terrorista ligado à Al-Qaeda.

Os missionários cristãos estão sempre apreensivos quanto à possibilidade de sequestro no Mali. Há 10 anos, igrejas foram queimadas. Na época, os cristãos foram obrigados a fugir. Isto porque grupos extremistas islâmicos assumiram o comando da região norte do país.

O sequestro de cristãos também é comum no Egito. Bakhit Aziz Georgi, de 68 anos, foi abordado por um homem armado. No momento da ação, ele trabalhava e foi forçado a segui-lo. Quando Youssef Girgis percebeu que o tio estava sendo levado, foi atrás e pediu para que o soltarem. Os sequestradores quiserem ver a identidade de Youssef, de 35 anos. Quando tomaram conhecimento que também era cristão, os sequestradores o capturaram também.

No Egito, geralmente, os cristãos são tratados como cidadãos de segunda classe. É comum os homens serem vítimas de sequestro como forma de assegurar um resgate, além de gerar medo entre a comunidade cristã local.

Com informações Portas Abertas

COLUNISTAS

Últimos Conteúdos

AllEscortAllEscort