Argélia: governo mantém ações para fechar igrejas

Autor: Redação HolyNews

Na Argélia, o governo permanece com ações para fechar igrejas e prender líderes cristãos. No último 6 de abril, autoridades decretaram o encerramento das atividades da igreja de Aouchiche, na cidade de Bejaia. A ordem governamental emitida, em 21 de março, exige que não haja mais ministração de cultos imediatamente. O país ocupa a 22ª posição na Lista Mundial da Perseguição (LMP) 2022.

A igreja de Aouchiche integra a associação das igrejas evangélicas do país, conhecida como Igreja Protestante da Argélia (EPA, na sigla em francês). Aumenta para 17 o número de igrejas da EPA fechadas pelo governo, contando com o encerramento das atividades dessa comunidade de fé. Fazem parte da denominação 300 cristãos.

Argélia: mais uma igreja pode ser fechada

Após conversão, cristão na Argélia é deixado pela família
Desde 2017, o fechamento de igrejas na Argélia acontece com frequência, inclusive aquelas que não são afiliadas à EPA. A partir de então, pelo menos doze cristãos foram condenados por “crimes” relacionadas à fé, incluindo blasfêmia e proselitismo. As sentenças dos seguidores de Cristo variam entre seis meses e cinco anos de prisão.

Um dos principais motivos para o fechamento de igrejas na Argélia é porque existem leis que regulamentam a adoração de pessoas não muçulmanas e ainda criminalizam qualquer ato que possa afetar a fé de um muçulmano. Segundo Portas Abertas, as autoridades argelinas estão envolvidas em campanhas contra diversas igrejas locais.

Com informações Portas Abertas

COLUNISTAS

Últimos Conteúdos